domingo, 25 de novembro de 2012

Ogun Já



Uma das qualidades mais polêmicas de Ogum,  é Ogum Já, ou Ogum Ajá, Aquele que come cão. O próprio nome já diz um pouco sobre o porque da discussão. Algumas itans nos contam que ele seria filho de Iemanjá e Oxaguiã, desde cedo demonstrava temperamento forte e explosivo e na África é oferecido a esse orixá o cão como sacrifício, porém devemos entender que é o cão selvagem, que apesar de ser da família do nosso cão doméstico, não é a mesma coisa e não critico quem fique horrorizado com isso, afinal o “cãozinho” é o animal de estimação mais comum no Brasil, aliás em quase todos os países de origem européia. E cultura é cultura, não podemos discutir isso.


Existe dois pontos de vista sobre essa questão, muitos zeladores, dizem que não se deve iniciar ninguém nesse orixá, pois não temos material para fazê-lo, e que isso acarreta uma espécie de cobrança dessa energia, pois quando invocamos um determinado orixá, devemos ter ciência de como ele é cultuado originalmente, porém se pensarmos por esse ponto de vista, não iniciaríamos ninguém, pois como você inicia alguém de Iemanjá  sem a água do rio Ogum  Ou alguém de Xangô sem um otá de Oyó? É complicado quando falamos desse assunto, hoje temos como comprar produtos importados da África, mas e a trinta anos? Como eram feitas. Mas continuando falando sobre Ogum Já, sua cor é o azul e o verde, que representação o ferro e o mariwó. Seu espaço é caracterizado pelas estradas de terra estreitas e retas e tem relações estreitas com Oxaguiã Ajagunã.



Oríkì ÒGÚN




Ògún pèlé o !
Ogum, eu te saúdo !

Ògún alákáyé,
Ogum, senhor do universo,

Osìn ímolè.
Poder dos orixás.

Ògún alada méjì.
Ogum, dono de dois facões,

O fi òkan sán oko.
Usou um deles para preparar a horta

O fi òkan ye ona.
e o outro para abrir caminho.

Ojó Ògún ntòkè bò.
No dia em que Ogum vinha da montanha

Aso iná ló mu bora,
ao invés de roupa usou fogo para se cobrir.

Ewu ejè lówò.
E vestiu roupa de sangue.

Ògún edun olú irin.
Ogum, a divindade do ferro

Awònye òrìsà tií bura re sán wònyìnwònyìn.
Orixá poderoso, que se morde inúmeras vezes.

Ògún onire alagbara.
Ògún Onire, o poderoso.

A mu wodò,
O levamos para dentro do rio

Ògún si la omi Logboogba.
e ele, com seu facão, partiu as águas em duas partes iguais.

Ògún lo ni aja oun ni a pa aja fun.
Ogum é o dono dos cães e para ele sacrificamos.

Onílí ikú,
Ogum, senhor da morada da morte.

Olódèdè màríwò.
o interior de sua casa é enfeitado com màríwò.

Ògún olónà ola.
Ogum, senhor do caminho da prosperidade.

Ògún a gbeni ju oko riro lo,
Ogum, é mais proveitoso ao homem cultuá-lo do que sair para plantar

Ògún gbemi o.
Ogum, apoie-me

Bi o se gbe Akinoro.
do mesmo modo que apoiou Akinoro.


11 comentários:

  1. eu sou feito de ogun ja.. Mto Bom .. ^^

    ResponderExcluir
  2. Sou de ogum já me orgulho não sou feito na barriga da minha mãe raspada fui escolhido já vi meu pai várias vezes amo meu pai patacori ogum

    ResponderExcluir
  3. Sou de ogum já me orgulho não sou feito na barriga da minha mãe raspada fui escolhido já vi meu pai várias vezes amo meu pai patacori ogum

    ResponderExcluir
  4. Sou do candomble Nagô e feito nas favas de Ogum Já quem quiser saber mais adicionar no instagram @casamariapadilha

    ResponderExcluir
  5. Sou do candomble Nagô e feito nas favas de Ogum Já quem quiser saber mais adicionar no instagram @casamariapadilha

    ResponderExcluir